Publicado em Crônica

Rotina

janela-bus5

Já são seis horas da matina? Estou atrasada! Melhor engolir todo chocolate quente de uma vez ou me atraso para aula de novo! Saí de casa meio apressada como sempre, deve ter chovido porque tem lama sujando meu tênis.

Não tem ninguém no ponto de ônibus e não é do meu feitio sentar em calçadas, mas não dormi bem esta noite. Seria mais bizarro dormir em pé do que sentada em uma calçada, certo? Decidi sentar. Ainda não é hora de colocar meus fones, a rua ainda está sombria, o sol custa a aparecer em dias chuvosos, melhor assim. Esperei por uns dez minutos, devo ter perdido o primeiro ônibus. Não tem problema desde que o que esteja vindo tenha oxigênio suficiente para todo mundo.

Entrando no ônibus, vi que havia dois lugares vazios, dei sorte! Sentei na janela, parece mais seguro. A janela ainda estava um pouco embaçada. Coloquei os fones para ouvir minha playlist de música clássica, pensei em ler um pouco de Machado de Assis, mas as ruas eram tão estreitas que não me permitiam fazer uma leitura linear, sem contar a minha miopia que mal me deixava decifrar as letrinhas numa tela pequena de celular.

Concentrei-me um pouco nas músicas e comecei a observar as coisas que estavam do outro lado da rua. As árvores não costumavam mudar muito. Fico mais impressionada com o desempenho de quem trabalha nas construções, todo dia aparece alguma nova! No entanto, há uma coisa que chama mais minha atenção do que todas as outras: o comportamento humano. Não tem como prever como cada pessoa vai se comportar a cada dia quando sequer a vimos antes. O que torna a vista ser um tanto engraçado e fascinante.

Já eram 6h50, estava quase chegando à escola. O ônibus parou como de costume, em frente ao supermercado. Tinha um casal bonito lá, dois jovens: um rapaz e uma moça. E do ônibus desceu uma moça pouco bonita, mas ela tinha os cabelos compridos e avermelhados. Eu poderia jurar que o rapaz acompanhado jamais iria desviar o olhar para acompanhar o andar dela, mas sim… Ele desviou! E a moça que estava com ele nem percebeu.

As pessoas são mesmo imprevisíveis. Elas vivem fazendo coisas que pensamos que não fariam. É por isso que perco meu tempo observando-as. 7h10 e já era hora de descer, cheguei cedo à escola, venci meu sono para encarar o dia longo e repetir tudo amanhã, vivendo intensamente presa nessa coisa chamada rotina, mas que eu adoro.

Anúncios

Autor:

E-mail: blairpttsn@gmail.com Defenda o que você acredita e tenha orgulho por quem você é!

^-^ Me conta o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s