Publicado em Comportamento, Crônica, Pessoal

A melhor vingança

[Escrevi ouvindo Heavy Crown de Iggy Azalea feat. Ellie G.]

Quando eu estudava arte no fundamental, tinha uma professora que parecia me detestar. Certa vez, ela chegou a rasgar meu cartaz na frente de toda turma porque eu tinha enfeitado-o com uma cercadura diferente dos demais alunos. Eu consenti calada em meio a risadas de deboche e lembro nitidamente de ter chegado aos prantos em casa. Meu pai, ao me ver chorar, contou que o problema não estava em mim e sim nela.

Eu resolvi não mudar, porque de alguma forma era no papel que eu encontrava o que havia de mais “humano” em mim: os sentimentos. Eu tinha a sorte de pelo menos meu pai compreender-me. Ele, mesmo depois que cresci, nunca se negou a comprar caixas e caixas de lápis de cor para me deixar feliz. Mesmo quando ele achava meus desenhos engraçados, ele curvava os lábios com um sorriso de orgulho.

A verdade era que ele também gostava de desenhar na minha idade e deixou de fazer isso por falta de tempo, logo aconselhava-me a aproveitar o tempo livre a infância. Mesmo sem praticar, se dessem-lhe um papel e um lápis, ele faria um retrato de qualquer pessoa, e faria isso muito bem. Eu quis ser como ele e nem um pouco como minha professora. Eu queria desenhar bem e inspirar pessoas a fazerem o mesmo.

E então decidi fazer uma promessa a mim mesma: continuar fazendo arte independentemente das críticas, por mais que elas viessem de alguém tão instruído quanto um professor. Óbvio que minha antiga professora não se privou de expor desânimo quanto aos meus trabalhos até meu último dia de aula com ela. Mas depois daquele dia, não me permiti sensibilizar por qualquer coisa que ela dissesse-me.

Hoje, eu não sei como ela está e se ainda dá aulas de arte. Se eu tenho uma certeza, essa certeza é que ela não esqueceu de mim nem eu dela. Espero que ela tenha conferido a lista do resultado final dos aprovados em Artes Visuais da Universidade Federal de onde mora. E como nunca quis, dessa vez eu queria estar ao lado dela para assistir sua reação ao ler meu nome na lista. Afinal de contas, a melhor vingança sempre será o sucesso.

“Minha vida anda louca, recebo conselhos para me acalmar.

Ironicamente, vivo com pessoas prontas para matar.”

Anúncios

Autor:

E-mail: blairpttsn@gmail.com Defenda o que você acredita e tenha orgulho por quem você é!

10 comentários em “A melhor vingança

  1. Caramba :3
    Lindo, lindo, lindo (aplausos) kkk
    A verdade é que desde que conheci a Gaveta eu fiquei com mais vontade de desenhar, até hoje, ainda não fiz isso, mas já voltei a pintar e salvar algumas páginas de cursos de desenho online. Claro, ainda não tenho disponibilidade para ficar o dia desenhando como as vezes sinto vontade, mas vou começar por onde é necessário e quem sabe eu não volte pegando o gosto e não desista nunca mais :3
    Sinto orgulho de ter conhecido uma pessoa como você, que assim como eu, quer mudar a vida das pessoas de maneiras diferentes e positivas sem deixar que negativismos prejudiquem-te.

    Bjos e abraços.
    Ane 😀

    1. A minha maior felicidade de ter criado esse blog é ler algo do tipo “fiquei com vontade de desenhar” ou “olha o desenho que eu fiz”! Huahsuahs. ❤
      Faça assim mesmo, eu não desenho todos os dias e no começo eu desenhava só coelhos, porquinhos da índia, coisas do tipo haushas, coisas que me deixavam feliz. A partir do momento que comecei a postar esses desenhos aqui no blog e percebi que eu não mandava tão mal, comecei a tentar desenhar pessoas que me deixavam feliz também. Bom, assim eu descobri meu estilo e hoje tenho mais facilidade. Tudo vai parecer mais fácil quando você encontrar seu estilo de desenho e eu vou ficar super super feliz de conhecer suas futuras obras qualquer dia, hehe.
      Eu sinto o mesmo. Acho que a internet carrega um clima meio pesado, onde as pessoas falam o que querem, intimidam, etc. Por outro lado, é bom fazermos nossa parte. É legal somar positivo com o outro. Que cresçamos assim e sempre encontrando bons amigos por aqui. Um abraço de urso, Ane. Obrigada por tudo ^-^

      1. E eu acho que a parte que me faz mais feliz é ver uma resposta tão grande e carinhosa quanto essa :3 Por aqui cada um fala o que quer sim, mas usamos as palavras para crescermos e unir forças. Vou tentar abstrair um pouco a minha mente porque ando muito sobrecarregada – é realmente muito difícil não fazer nada – e desenharei algo que faça-me feliz também heueh
        Quando era mais nova, adorava pintar desenhar horizontes só com as cores, não ficava muito legal não, mas eu me divertia rs E acho que tenho deixado isso para trás.. Obrigada pela dica. Mil abraços de porquinhos da índia :3 Reciprocamente, obrigada 😀

  2. Já passei por uma situação parecida a essa, foi bem desagradável. Mas é como você mesma diz, devemos “continuar fazendo arte independentemente das críticas”; o ato de desenhar funciona como um expoente do eu interior. É uma maneira de explicitar às pessoas um pouquinho de si, a cada traço feito.

  3. Arrasou!

    Nunca consegui entender como os professores podem ser tão ruins com os alunos. Não gostar deles é uma coisa, desrespeitá-los é outra. De qualquer forma, parabéns por ter passado, e realmente espero que essa tua professora veja teu nome lá e lembre de ti, hahaha.

    Beijos.

^-^ Me conta o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s