Publicado em Crônica

Farsa ou faça

tumblr_static_tumblr_static__640

Eu sinto que fui perdendo parte de mim, ao longo desses meses. Eu percebi isso ao acessar minhas fotos de viagem e notar o quanto eu era feliz andando nas ruas do Rio de Janeiro com os meus óculos cor de rosa, cujas lentes tinham formato de coração. Eu me sentia a garota mais turista ali, simplesmente porque eu não me importava com o que eles pensariam de mim. Até porque eu sequer os conhecia.

Haviam alguns que me olhavam com curiosidade, alguns olhavam como se fosse um absurdo e o mais legal: ninguém tinha uns óculos igual ao meu. Lembro de quando fui comprar. Minha família achou “não, você não vai ter coragem de usar isso na rua!”. Eu sei que, na maioria das vezes, eu sou séria; principalmente quando os ambientes me exigem isso. Mas sabe de uma coisa? Eu queria ter essa coragem todos os dias.

O que quero dizer é que, quase sempre, eu escondo o jogo. Eu não gosto de demonstrar o que eu sinto e dificilmente exponho o que eu penso sem censura. Porque, intrínseca a tudo o que sou, existe uma fragilidade; e, conforme crescemos, descobrimos que precisamos disfarça-la diante das pessoas. Afinal, qual foi a última vez que conversamos sobre nossos sonhos, os nossos medos, os nossos problemas, as nossas felicidades com alguém?

Eu sei que isso não está acontecendo só comigo. Provavelmente tornar-se superficial faz parte do processo do “amadurecimento” e isso é deprimente. As pessoas estão mais interessadas em contas bancárias, entre os demais prazeres passageiros, do que em pessoas. E, por nossa vez, colocamos na nossa cabeça que tudo pode dar errado no final e, para não contribuir com o caos, é melhor que ninguém saiba. Nós aprendemos a sofrer sozinhos.

No entanto, não precisamos ser uma farsa o tempo todo e com todo mundo. Ah, se quiser desabafar, escolha um cronista! É sério. Um cronista pode até escrever sua história para quase todo mundo ficar sabendo, mas ele não dirá que é a sua. Até porque as crônicas podem ser a história de qualquer pessoa, crônicas contam fatos da realidade e um cronista já viveu tantas histórias que vai gostar de conhecer mais uma. No final das contas, ele poderá até dizer o que pensa com sinceridade, se preferir.

Então, é por isso que estou aqui. Essa é uma das partes preferidas que existe em mim. Talvez a mais frágil também. E eu não me importo tanto. Porque eu não pretendo ser superficial com aquilo que amo ser: cronista. (Nossa, eu nunca me declarei para minhas crônicas! Haushuah. E nem vou reler para editar, senão corro o risco de deletar esse parágrafo aqui. É isso aí, tchauzinho.)

Anúncios

Autor:

E-mail: blairpttsn@gmail.com Defenda o que você acredita e tenha orgulho por quem você é!

^-^ Me conta o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s