Publicado em Crônica

Pra não dizer que sou ingrata

enhanced-31094-1416226672-11

Pra não dizer que sou ingrata. Pra não dizer que esqueci de tudo. Pra não dizer que nós nunca existimos. Pra não dizer que não escrevi sobre isso. Esta é especialmente pra você:

Já contou as vezes que você fez cagadas? Quando eu conto as minhas vezes, eu preciso lembrar de você. Impressionante. Era engraçadinho a forma como éramos diferentes um do outro, tanto é que eu nem percebia o seu comportamento machista. Eu fui me dar conta disso depois daqueles pedidos abusivos. Era fofo como você achava que eu era muito pra você; então, você demonstrava sua insegurança por meio de ciúmes desnecessários que começaram a me encher a paciência.

Que bom que a gente cresce. Que bom que a gente brigou feio e não se falou mais. Entretanto, eu preciso confessar que aprendi algumas lições depois de você: pena não é amor; religião não é caráter; não era eu que beijava mal, eu só não queria te beijar; no final das contas, as cartas vão pro lixo; e, depois que tudo passa, ****-**.

Eu poderia censurar a grosseria, eu poderia escrever em forma de poesia, eu poderia escolher uma foto mais bonita, eu poderia lembrar de você com mais carinho. A culpa não é minha. A culpa é sua. O que você queria de mim era mais do que eu poderia dar. Quem você dizia ser, não era você de verdade. O maior problema, porém, foi você não ter desistido fácil. Você me queria. Você me queria de qualquer forma, mesmo sabendo que eu não te queria mais. Você me encheu o saco e o respeito que eu tinha por você foi embora junto com a minha paciência.

Às vezes, você me irritou tanto que eu tenho vontade de sair contando a verdadeira versão de tudo. Algumas pessoas me odeiam. Eu não fui insensível. Eu era uma menina confusa, é verdade, mas eu não era a única. O que mudou foi que eu me encontrei. Diferente do que você pensava, eu não quis que você sumisse porque eu queria ficar com alguma pessoa. Eu queria ficar sozinha e fiquei. Você dizia que ninguém sentiria o amor que você sentia por mim. Eu nunca me amei tanto!

Anúncios

Autor:

19 anos. Acadêmica de Relações Internacionais e apaixonada por histórias de amor.

^-^ Me conta o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s