Crônica

A falta que me faz

tumblr_static_tumblr_static_filename_640

Eu tenho só vinte anos e minha vida já virou tanto do avesso que criei resistência para encontrar os erros. A bagunça virou rotina. E eu não queria admitir outra vez que precisaria mudar…

A distância entre mim e todas as outras pessoas me fez bem. É difícil precisar me sentir responsável pelos os sentimentos de outros se eu mal consigo manter os meus sob meu controle. Eu me afastei e eu poderia contar nos dedos de uma mão só quantos se importaram com essa distância (amo cada pessoa que fez isso).

Eu sou de muitos segredos que me tornaram complexa como sou hoje. Na maior parte da minha vida, eu me senti totalmente abandonada, ainda que houvesse alguém querendo cuidar de mim. Talvez porque eu me sentia jogada de um canto para outro sempre que cometia algum erro. Não era por mal. Eu era só uma criança. E hoje eu sou uma adulta que morre de medo de errar outra vez, embora “errar seja humano”.

Quando eu era menor, eu sentia falta de algo que eu nunca tive de verdade: amor de mãe. Eu sentia falta de alguém que lutaria contra o mundo por mim, que faria eu me entender melhor e me afastaria dos meus pesadelos. Eu nunca tive esse amor. Eu não sinto falta da minha mãe porque todas as vezes ela fez ao contrário do que eu esperava.

Eu odeio as datas comemorativas porque elas me lembram que eu não tenho um verdadeiro motivo para comemorar. Eu nunca senti que tinha uma família real que jamais passaria um dia sem se preocupar se eu estava bem. Os meus olhos pesam e eu não consigo dormir. Eu quero chorar até passar.

 

Passa e volta.

 

Todas vezes que gritam comigo, eu sinto como se eu tivesse vindo ao mundo no momento mais inoportuno. Eu tenho uma família desestruturada e eu me sinto problemática porque eu cresci ouvindo que o problema sou eu. Eles geraram um problema. Eu cresci com complexo de inferioridade e não sei lidar bem com elogios até hoje. Eu choro todas as vezes que alguém me diz o oposto do que ouvi a vida toda.

Mas, aos dezenove anos, eu tive a sorte de encontrar uma família inteira em uma pessoa só. Eu namoro com essa pessoa até hoje. E, por ela, eu enfrentaria o mundo também porque sei que ela faria o mesmo. Em algumas crises, eu me encontro pensando que talvez eu a cobre demais e certamente eu acabo a ferindo com a minha ansiedade, agressividade e até depressão.

Por mim, a vida não teria sentido algum e eu abriria mão agora mesmo se não tivesse encontrado esperanças em alguém.

 

^-^ Me conta o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s