Publicado em Crônica

Cartas de amor

tumblr_static_tumblr_lk9x6v4ujv1qins25o1_500

Escrevi ouvindo Back to December – Taylor Swift

É tão doloroso não conseguir impressionar você com minhas declarações improvisadas, para não falar “mal feitas”, de amor. Quero dizer, eu não conheço o caminho certo para teu coração e surpreendentemente o destino tem sido o lugar mais bonito onde já morei.

Eu pensei várias vezes em te escrever algumas cartas e me dei conta de que palavras são passageiras. Não quero perpetuar em papel o que na vida se transforma todos os dias: os meus sentimentos. Quero te dizer que há algum tempo eu te amo e num dia após o outro já não é o mesmo amor. É uma coleção, na verdade, de razões para querer te manter e me fazer presente teu.

O que posso te prometer é que enquanto houverem razões: o meu amor é teu. Mas como eu te amava ontem não é como eu te amo hoje. Ontem eu te amava por tantos motivos e agora te amo por tantos motivos e porque você me fez sorrir me mostrando um vídeo engraçado. E, ressalto, não era tão engraçado assim. Eu não sorri tanto por ele. Sorri mais por você que se esforçou pra ver isso acontecer.

E reconstruindo o meu amor todos os dias, jamais precisaremos de um prazo para despedida. Eu não saberia muito bem como colocar meus sentimentos atemporais numa carta ou numas palavras soltas enquanto me você me fita distraído. E por falar de menos, eu prefiro sentir demais, mas nem parece tanto assim para não sufocar. Então eu só mostro aquilo que importa para você perceber que estar com você me parece o suficiente para querer amanhã de novo sem cansar.

Anúncios
Publicado em Crônica

Tudo bem com vocês?

ff80b6523a8f91e00a49eed3ed363665-yellow-converse-yellow-shoes

Olá, gaveteiros?

Tudo bem com vocês? 😛

Fazia um tempinho que eu não vinha aqui blogar para conversar com vocês! [Imagine que aqui existe emoji de arco-íris]

Sabe, as coisas finalmente andam em ordem na minha vida. Os meus sentimentos, a minha família, os meus amigos, a faculdade e tudo mais. Mas, eu cheguei a conclusão de que nunca vou me adaptar a uma zona de conforto…

É como se eu precisasse viver transformações o tempo todo. Eu sou toda agoniada e ansiosa. Eu vivo fazendo planos e querendo mais. Eu nunca me conformo e vou ficando noites sem dormir assim. E para não ficar paranoica procurando por problemas, eu prefiro fugir de todo esse conforto.

Eu não costumo contar sobre o que ainda não existe fora do papel. No entanto, eu queria escrever assim mesmo. Eu acho que quando a gente escreve enquanto os sentimentos ainda estão confusos fica mais sincero quando lido depois. Cá estou, abrindo o coração outra vez.

Eu voltei a estudar Inglês. Fiquei deslocada na aula por não falar tanto quanto gostaria. Quero dizer, é como se ainda fosse pouco! Logo, cheguei em casa e comecei a falar sozinha. Conversei comigo mesma. Escrevi a letra de Cold Coffee e pratiquei listening. Deus me livre depender só das aulas de sábado para progredir na língua.

Às vezes, sinto falta de desenhar também. Mas ultimamente não tenho me inspirado para rabiscar alguma coisa. Daí, lembrei que sempre admirei tanto artesanato! Eis meu próximo passo: descobrir alguma habilidade minha no artesanato. Eu adoro e respiro arte o todos os dias. Seria maravilhoso manifestar isso fora da escrita também!

E querem saber? Eu me sinto feliz. Sim! Porque eu vejo a felicidade como uma busca contínua. Eu tenho a plena noção que não existe um lugar aonde quero chegar, mas que eu adoro conhecer diferentes lugares. Eu gosto disso: da gente se reinventar, sem perder a essência – é claro. Eu fico encantada quando dizem que eu mudei e estou melhor.

Nas últimas semanas, também variei muito as minhas playlists. Voltei  a escutar meus rock gótico 2012 feelings e Taylor Swift versão gospel country. Eu acho sensacional isso que não importa o quanto eu me distancie de quem eu fui, porque sempre existe uma música para me lembrar sobre tudo e me fazer ser grata pelos bons tempos de hoje.

Foi um desabafo meio confuso, muito sincero, mas é que eu não gosto dessa história de vir aqui desabafar só quando estou passando por fucking problemas. Eu adoro falar de coisas boas também. Inclusive, é o meu primeiro post de setembro e espero trazer mais amor aqui para fazer desse setembro amarelo especial pra vocês também! ❤

Um abraço de urso.

E até o próximo post! 🙄

Publicado em Crônica

Noite de verão

tumblr_lgf0rm5qea1qe0hneo1_500_large

Escrevi ouvindo High Hopes – Kodaline

Quando nós nos conhecemos, era uma calorosa noite de verão. Eu tirei meu casaco para estar com você. Nossos corações dançavam na mesma frequência. E quando a sua mão encontrou com a minha, eu descobri como era se sentir num porto seguro. E nós bebemos muito vinho, porque éramos jovens e precisávamos de coragem. Quero dizer, esse era o meu motivo. E o seu?

Estar com você me fazia sentir que eu poderia ser todas as coisas, inclusive sua. Portanto, eu segui teus passos. Caminhei na tua direção. Era madrugada e a praça estava solitária. E, de uma forma, estranha eu me sentia completamente preenchida com minha deliciosa companhia daquela noite de verão.

Eram férias e eu não tinha hora pra voltar. Então, eu sequer olhava no relógio quanto tempo eu ainda tinha de você. Qualquer tempo pareceria pouco. Decidi fechar os olhos e sonhar que era pra sempre, porque éramos jovens e estávamos bêbados. Essa era minha desculpa. Também era a sua?

De repente, você sussurrou que não queria ir muito longe. Mas eu não estava pedindo pra que você fosse a Marte comigo. Só me amar a noite toda estava bom demais! Você era cuidadoso, não é? Estava mesmo preocupado! Essa foi sua justificativa. E a minha? Não engoli muito bem suas palavras salivadas, não eram o suficiente para mim.

E se houvesse uma teoria mais plausível, provavelmente se resumiria na tese: você não estava tão na minha assim. Eu te procurei no dia seguinte. Você jurou que eu não lembraria de nada e que você faria o mesmo porque éramos jovens demais para nos envolver. Então você riu e não acreditou mesmo que eu ainda precisava do teu beijo.

Me deixa contar uma verdade no seu ouvido também: isso é tudo o que uma garota sozinha, como eu, precisa numa noite de verão. Você, nada mais. Porque somos jovens e podemos beber juntos a noite toda e ainda assim eu vou lembrar do quanto gosto de ficar com você, porque você nunca foi minha desculpa. Você foi o sentimento mais desesperado e mal planejado da noite passada. Eu amei sentir. Essa é a minha razão para estar aqui e a sua para, enfim, de mim fugir.

Publicado em Crônica

Me alcoolizo outra vez

tumblr_static_filename_640_v2

Escrevi ouvindo Meet Me in the Hallway – Harry Styles

E você me conta que somos tão jovens e eu te observo perseguindo as estrelas com teus olhos tão cansados depois de algumas doses aleatórias. Qual o desenho que você vê que te fascina ao fazer do céu a tua única distração que te impede de dormir agora nos meus braços agora? Mas, no fundo, eu só gostaria mesmo de saber se ainda existe álcool que tranquilize a agonia de não te ter em mim mesmo quando tão perto.

Ando observando como você não tem pressa. Você levanta devagar, avisa que precisa dormir um pouco. E você vai. Você vai sem pressa para voltar. E eu fico a te esperar como se eu não tivesse mais nada pra fazer. Então, eu me alcoolizo outra vez e essa é minha maneira de chamar tua atenção: estou me divertindo sem você. Eu fico torcendo, no dia seguinte, por duas coisas: a minha ressaca passar antes do trabalho começar e as histórias das insanidades da última sexta chegarem até você.

É que você vem com essa filosofia que somos jovens demais e isso não me atrai! Eu sei que isso é para eu me distanciar um pouco e te deixar respirar. Eu te sufoco, não é? Eu me desespero e ligo sem parar. Eu faço de conta que foi sem querer. Eu finjo que quero desligar logo. Você ouviu algum barulho? Talvez tenha alguém comigo. Por que você nunca pergunta por isso, por mim ou por nós?

Publicado em Crônica

Superlike

errixev

Escrevi ouvindo Ela Vai Voltar – Charlie Brown Jr

Depois de alguns anos, eu descobri que o amor não mora nas demais pessoas. O amor precisa vir de dentro e transbordar. Quero dizer: o primeiro passo é você admitir e admirar que você é uma pessoa maravilhosa e, a partir de então, você pode, enfim, abrir seu coração porque já não cabe tanto amor dentro de si. Agora, sim, você está pronto para dividir.

Eu deixei de me questionar o que havia de errado comigo. Eu desisti de me preocupar com a falta de reciprocidade. Eu cansei das mesmas enrolações de sempre: primeiro o beijo, depois o whatsapp. Pra quê? Até quando? Até onde? Relações efêmeras não fazem o meu tipo. Ficou pra trás a “obrigação” de tentar me encaixar no padrão desapegado que não combina nada comigo.

Comecei a ter mais tempo pra mim: eu li os livros que precisava, tive mais certeza de que estava cursando exatamente o que sonhava, engavetei as desculpas e dei início às aulas de yoga em casa, fui nas festas que eu sempre tive curiosidade de ir, aprendi a dançar, dirigir, cozinhar e cuidar mais de mim. Não se trata de ter um corpo bonito, mas um estilo de vida saudável: menos doces, mais frutas. Eu, finalmente, estava mergulhando no amor próprio. Eu estava pronta em 3, 2… Espera, a gente nunca sabe!

Foi nesse “nunca sabe”, aquele friozinho de “qual vai ser o próximo passo?”, aquele “isso está mesmo acontecendo?” que me dei conta que era real sim: reciprocidade. Foi a partir dessa onda de surpresinhas que tudo pareceu acontecer tão depressa e eu percebi que não existe receita ou caminho para chegar no ponto de trocar um superlike na vida de verdade.

Ou seja, para você que anda inquieto antes de dormir cogitando se amanhã você deveria atrasar cinco minutos porque seu provável próximo amor pode estar vindo no ônibus de trás: vai com calma! Não precisa ficar planejando. Não precisa tanta pressa. Não precisa ir tão longe. Você precisa especialmente de você e ficar exatamente onde está e deixar o amor transbordar. Uma hora vai acontecer tão rápido que você vai sentir até saudades de toda essa agonia que foi para ser notado pelo crush. Ou manda a saudades dar meia-volta e só aproveita o romance.

Publicado em Crônica

A menos certa pra você

tumblr_la08jcp3aw1qd57x8o1_500

Escrevi ouvindo Sad – Marron 5

Quando você foi embora, eu me senti desesperada. O que eu poderia fazer por uma segunda ou, quem sabe, terceira chance? Não sei. Eu andei perdendo a conta de quantas vezes você ameaçou partir meu coração. A verdade é que a tua voz tão doce não era agressiva xingando o meu amor. Então, eu fui delirando acreditando só no que eu queria ver.

Eu fechei meus olhos e deixei você brincar com o que eu sentia por você. Eu permiti que você tirasse tudo de mim e eu fiz tudo o que poderia fazer por você. Mas amor sequer é gratidão. Isso é o que menos importa, porque nenhum foi grande o suficiente pra você não me abandonar assim. Eu estava tão na sua e o meu sorriso só existia contigo. Eu não quis imaginar o perigo que seria se tudo isso não fosse recíproco.

Você me fazia pensar que eu era forte o suficiente para correr todos os riscos, correr atrás de você. Eu te procurei por todos os lugares que você costumava frequentar. Eu cansei de ligar e você sequer retornar. Esqueceu o celular de novo, foi? Tudo bem… Não estava nada bem! Meu coração estava apertado, estava judiado de tanto te querer e menos te ter a cada dia.

De repente, eu estava me sentindo péssima por ser exatamente quem eu sou. Eu cogitei mudar tantas coisas: eu quis mudar a forma como eu sentia tudo tão depressa, eu quis mudar o meu corpo, eu quis mudar de endereço, eu quis apagar teu número, eu quis apagar teu beijo, eu quis apagar você pra sempre. Eu estava enlouquecendo tentando encontrar motivos pra você ter sido tão cruel comigo. Será que não sou boa o suficiente?

Foi, então, que no mês do carnaval você decidiu assumir seu romance sem medo de ser feliz ao lado dela, sem culpa pela minha dor da tua ausência. E o teu sorriso caiu bem com o dela em todas as fotos. Eu assisti tudo isso de casa enquanto procurava pelos defeitos dela. Será que eram tão menores que os meus? Ela provavelmente conhecia mais sobre suas músicas favoritas do que eu. Eu me senti a garota mais errada de todas. A menos certa pra você.

 

Publicado em Crônica

Não é que eu não te ame tanto assim

desafio-de-escrita-primeiro-encontroalmas-g25c325aameas-mademoisellelovesbooks

Escrevi ouvindo Buzzcut Season – Lorde

Não é que eu não te ame tanto assim…

Mas, às vezes, eu gosto de aproveitar o silêncio da noite e vagar pela casa. Eu gosto de tirar minhas roupas sem, necessariamente, um porquê excitante. A sensação de frio me lembra o teu calor que me faz bem. Então, eu lembro porquê o meu amor é teu.

E mesmo que eu não acenda as luzes, eu sei de cor cada lugar e por onde fui deixando as coisas de quando cheguei com pressa e só quis deitar logo contando com a sorte para ter um sonho bom, um sonho com você. Entenda que, ainda que eu não decorasse algum lugar, eu saberia por onde ir até a cama encontrar com teu perfume lá.

Nunca pense que eu não te amo o suficiente. Não é porque eu não me sinto pronta para viver a dois que o meu coração não bate por você também. Às vezes, fico entediada até de mim mesma e tenho vontade de partir pra longe e me reinventar. Mas eu não iria a qualquer lugar ao qual eu não pudesse com você estar.

Agora, eu só preciso de um tempo. Um tempo meu – que não deixa de ser um pouco seu também – porque parte de mim é amor e a outra também te escolheu. Isso significa que em qualquer lugar ou em qualquer companhia, a ti devo minha calmaria. Eu quero ficar com você, contudo, agora quero apenas as lembranças para me dar conta da tua confiança.

Eu quero que a saudade aperte forte. Quero sentir a porta do meu coração fazendo bagunça até eu a ouvir batendo. Quero aquela dose desesperada de precisar te encontrar o mais depressa possível. Eu só quero a certeza de que não existe volta: te quero agora, não enrola! Vai desejando que eu já estou passando aí em uma hora.