Comportamento, Crônica

Dengo casual

Outro dia, estava olhando a timeline no facebook e me deparei com isso:

dm1fvi_xgae0vrn

Casual -> Google -> Pesquisar:

adjetivo de dois gêneros
  1. 1.
    que depende do acaso, que ocorre por acaso; fortuito, eventual.
    “conhecimento c.”
  2. 2.
    pouco frequente; ocasional.
    “cliente c.”

Demorei um tempo pra assimilar tudo isso… Porque, pra mim, leitora de Bauman, é triste ver para onde estamos caminhando: relações cada vez mais líquidas. “Dengo casual” é tão ruim e vazio quanto o próprio “sexo casual”. O Universo definitivamente me colocou na década errada. Cada vez menos me identifico com a minha geração e isso tem sido frustrante.

Talvez, a última pessoa com quem eu me envolvi estivesse nessa vibe. A gente não marcava encontros com muita antecedência nem nada especial. A gente simplesmente se encontrava. E andávamos de mãos dadas, trocava carinho, falava coisas fofas. Até que começamos a ver netflix, comer brigadeiro, trocar memes e acredite: conhecer a família.

E eu tenho a necessidade de dar nome pra tudo. Eu tenho a necessidade de definir o que as pessoas significam pra mim e assim dar a importância e atenção que merecem. Mas eu não fazia ideia do que estava acontecendo nessa última relação porque o sexo nem era uma prioridade. Era dengo casual. E eu não vou dizer que foi uma bosta porque eu acabei com isso a tempo de não me machucar.

Sim, eu estava planejando me apaixonar e viver uma história de amor dessas que não cabem em uma crônica. Ela,  porém, não estava nessa vibe. Ela é mais da geração “dengo casual”. Posso fazer um pedido? Vou fazer:

Antes de tratar alguém como mozão, explica pra pessoa que ela é só um contatinho. Pode ser 99% anjo perfeito, mas avisa que você tem aquele 1% vagabundo que assim se evita ser uma grande decepção. 

Pessoas, como eu, precisariam se diminuir para dividir espaço no coração de alguém. Imagina você viver sempre encolhido? Não, não é isso o que eu quero pra mim. E eu confesso que não vejo muito sentido também no dengo casual porque… Bem, eu não preciso de alguém pra ficar junto de vez em quando. Eu me basto. Eu me dou carinho. Eu me acho bonita, legal e inteligente o suficiente. Sério. Eu não preciso de alguém pra me dizer isso apenas quando quiser um beijo e sorriso em troca.

Então não me venha com a proposta da gente curtir e ficar junto pra querer se livrar de mim no dia seguinte por, talvez, tenha outra pessoa com hora marcada pra chegar na sua casa. Cada dia que passa, eu sinto menos falta de receber mensagens de “bom dia” e “não vou fazer nada, vamos nos ver hoje?”. Eu sou cardisplicente, mas nem tanto pra deixar você ocupar meu coração aos pouquinhos com suas duas horas por semana que se transformam em vinte e quatro pensando em você sete dias por semana.

Comportamento, Crônica

– Você é difícil?

large_tumblr_myalj1f9m41qea16ro1_500

Romance complicado parece interessante nos filmes. Acho que, porque, lá no fundo, a gente já desconfia que eles vão ficar juntos no final ou que, pelo menos, vai ficar tudo bem. Na vida real, eu dispenso qualquer complicação.

Mas, Blenda, você é fácil?

Eu não me rotulo. Depende muito. Eu costumo dar alguns avisos antes de sair num date:

  1. Eu sou pontual
  2. Eu não vou me arrumar toda pra te ver
  3. Eu tomo a iniciativa

Sabe, é bem chato dizer pra alguém: você é legal, mas eu não fiquei afim de você. Ai, isso machuca… Machuca o ego e, se duvidar, até o coração! Então, a melhor coisa que eu fiz foi admitir: se eu quiser beijar você, não tenha pressa, eu vou fazer isso.

Mas você não tem medo de levar um fora também?

Eu só pareço tão segura porque eu observo muito a pessoa. O corpo fala. Fico analisando a postura, a forma como me olha, a proximidade e arrisco. Se ela não quiser: azar o dela! TÔ BRINCANDO. Se ela não quiser, a gente ri disso e continua conversando até dar a hora de ir embora.

Ontem, eu estava jantando com dois amigos do ensino médio. É sempre divertido encontrar amigos do ensino médio porque eles reagem sempre como se agora eu fosse uma pessoa totalmente diferente. Totalmente não sou, mas eu mudei bastante e, em especial, sei me expressar melhor.

Bom, conversamos sobre como a vida segue depois de um namoro. Foi engraçado como eles me acharam “desapegada”. Eu sou muito intensa. Eu adoro ter encontros, ter uma conversa de aquecer o coração antes de dormir e todo esse romance. E onde eu não me sinto confortável para ser assim, eu não demoro. E dói bastante quando eu crio expectativas. E passa logo depois que eu vejo que aquela não era a única pessoa interessante no mundo. E, assim, eu sigo para a próxima.

Na última vez que eu saí com meu ex-namorado, ele disse que eu deveria esperar um tempo e ficar mais sozinha. Não combina comigo. Por que as pessoas dizem que a gente precisa dar um “tempo”? Tempo é relativo. Eu não vou seguir nenhuma regra que impeça meu coração de ficar em paz de novo.

Estava ouvindo uma música da Naiara Azevedo que faz todo sentido:

Avisa que eu cheguei
Que a gente vive apenas uma vez
Então se arrisca, beija, acerta, erra

O amor não vem com estrela na testa

É isso mesmo. O amor não vem com estrela na testa, talvez não veja num rostinho bonito nem numas palavras bem ditas.

Se deu certo, bem
Se não deu certo, ótimo
Próximo, próximo

Comportamento, Crônica

Sem visto por último

screenshot_2016-08-18-17-02-06

Algum tempo atrás, eu enviava uma mensagem e ficava aguardando a pessoa responder. Aguardando com a conversa aberta mesmo. Até que, um dia, eu me apaixonei. Ai, como doeu… Ela visualizava e não respondia. E os áudios? Fazia de conta que nem estavam ali. Horas depois, quando ela bem entendesse, quando ela achava conveniente me dar um pouco de atenção: ela respondia…

Eu não faço joguinhos. Respondia de volta na mesma hora. Trouxa eu? Trouxa era ela de ter me enrolado ou talvez eu mesma por não ter percebido o desinteresse escancarado.

E por que eu tirei o visto por último? Não quero pensar coisas ruins das pessoas que entraram recentemente no whatsapp ou até visualizaram e não responderam. Acho que eu acabei me tornando um pouco assim como elas… Abro uma conversa sem querer, mas estou ocupada e não quero responder de qualquer jeito. Quando eu tiver um tempinho, vou responder como merece ser respondida. Prometo.

É vacilo a gente ficar olhando quando a pessoa entrou pela última vez. Não faz diferença alguma! Ela vai responder quando for conveniente pra ela, ainda que você saiba que há cinco minutos ela ficou online. Tirar o visto por último é libertador e também um passo pro desapego.

Se esperar por uma mensagem não está fazendo bem a você, eu recomendo. E aí você também aproveita pra não colocar tantas expectativas. O tempo fica cada vez mais escasso conforme a gente vai criando maturidade e nos enchendo de tarefas. Valorize um date. Marque um. Chama pra sair. É bem mais fácil. Tem gente também que é legal pra caramba, responde sem demorar muito, mas pessoalmente dá sono. Você não quer ficar se iludindo, não é…?

Crônica

Ele não fez nada por merecer você

large2

Não vai ser nada demais. É só mais um date. Eu vou nem usar minha melhor roupa. Tem que gostar de mim como eu sou por dentro, sem elas. Não! Espera, gostar por dentro nem é coisa de primeiro date. É coisa gente que apaixonada. Você não quer se apaixonar, né? De novo: não! Pelo amor de Deus, olha pra você… Não precisava de todas essas questões internas. Era só vestir qualquer coisa mesmo.

Já estamos indo. É sério que você vai ouvir Anavitória? Você sabe que deveria estar ouvindo Wesley Safadão. Você adora uma cilada. Sou sua consciência aqui. Estou tentando chamar sua atenção. Eu odeio dividi-la com o seu coração. Não, você não vai pra outro lugar com ele! Ele não fez nada por merecer você…

Não quero ver isso! Vocês estão se beijando? Ah, não! Você só beija em duas circunstâncias: está bêbeda ou está apaixonada. Por favor, me diz que você bebeu alguma coisa. Não, não me ignora! Queria emprestar meus olhos para você. Você olha pra ele como se ele fosse um anjo. É um anjo que caiu do céu! É bonito assim só por fora. Você não é a única pra ele, acredite em mim… E, não, você não pode mudar isso.

Por que?

Porque ele não quer! Sim, eu estou vendo ele sorrir pra você. Estou ouvindo o celular dele vibrar também. Ele não ignorou. Ele tirou os olhos de você mas abriu um sorriso maior. Ele vai mesmo responder essas mensagens enquanto está com você. E não são do trabalho. O seu celular fica no silencioso, né? Que trouxa. Você silenciando por alguém que realmente nem tá tão afim de você.

Você é legal. Você é interessante. Mas ele não está procurando um verdadeiro amor. Ah, não… Você não vai chorar porque não se acha tão importante! Você não é mesmo importante pra ele. Não é problema seu. Não é o único cara bacana do mundo. Onde você errou? Você realmente fez tudo o que estava ao seu alcance. Você fez de tudo por ele, ainda que ele não merecesse nem um terço.

Agora? Agora ele não é mais problema seu. Eu estou adorando que agora você quer me ouvir. Teu coração é bom, mas não pensa. Eu tenho razão. Você não deveria me deixar de lado por qualquer pessoa. Na verdade, você não deveria me deixar por ninguém. Me deixar é te deixar na pior. Não escreva uma carta de amor pra quem não merece nem teu bom dia. Você era demais pra ele. Por isso ele não fez nada para merecer você.

Comportamento, Crônica

Ninguém nasce namorando e ninguém morre de amor

large

Não quero mais causar a impressão errada.

Nas últimas semanas, eu criei uma playlist com todas as músicas que meus amigos héteros ouviriam após um término. Eu admito que foi legal ouvir por uns dois dias. E agora eu tenho a certeza que essas músicas já não combinam comigo. Eu gosto de músicas que falem sobre amor de um jeito romântico e não como um problema. Por que será?

Nos últimos dates, eu ainda não sabia muito bem o que esperar do meu coração. Logo, eu dei a entender que não esperava nada. Eu menti para mim mesma. Eu estou sempre esperando! A minha primeira paixão mais forte foi lá nos meus quatorze anos. E desde então eu não me lembro de ter passado um dia sequer sem pensar em algum crush.

Ah, Blenda, você precisa pensar mais em você!

Eu penso pra caramba! E por isso respeito tanto quem eu sou e como eu me sinto antes de vestir uma armadura chamada orgulho. Eu gosto de ter alguém pra dar carinho e dividir a vida com todos os altos e baixos. E admito que, também nessas últimas semanas, venho procurado me apaixonar mais por mim.

Isso começou quando eu senti que tive um dia péssimo, ainda que tenha sido no meu dia favorito da semana – a segunda-feira – porque eu não tinha nenhum date marcado, não recebi nenhum flerte e muito menos um convite para sair. Me senti triste. No dia seguinte, ainda estava triste. Espera, isso está errado, Blenda…

Estava errado mesmo. “Ninguém nasce namorando, ninguém morre de amor”. Tantas pessoas me admiram quando conhecem um pouco da minha história e das coisas que eu tenho feito. Tenho costume de me auto sabotar e achar que o que eu faço é pouco. Mas, andei tentando me olhar pelos olhos dessas pessoas e percebi que as coisas estão indo bem. Eu tenho feito mais do que achava que daria conta. E é verdade que minha agenda só não é lotada porque eu escolhi levar uma vida mais leve por uns meses.

Sendo assim, eu tirei um tempo para ficar comigo. O que eu gosto de fazer quando estou sozinha? Ler textos de amor, escrever textos de amor, assistir vídeos de amor (e você achando que vênus em capricórnio não é romântico!), estudar em paz, ouvir músicas que nem eu sei o nome, cantar baixinho e outras muitas coisas para me (re)descobrir. Sabe, existe uma parte boa em estar sozinha…

E ainda existe a outra parte: eu gosto de me apaixonar e me entregar ao que sinto. Gosto de confiar no destino e nas pessoas. Mas o que eu tenho a oferecer é tanto e tão especial que não pode ser qualquer pessoa para ganhar minha atenção diária. Eu não quero desacreditar que o amor é a melhor parte da vida. Então, eu não quero me envolver em maus lençóis. Casualidade não combina comigo. Talvez eu precise admitir isso nos próximos dates. Se quiser fugir, não demora para ir embora.

.

.

.

Próximo!

Crônica

Nós sabemos que deu certo por um tempo

espacio-tumblr-gif-8

É estranho porque parece que não dói como pensávamos que doeria. É estranho porque nossos caminhos não se cruzam mais. É estranho quando perguntam sobre você e eu sorrio sem sentir qualquer remorso. É estranho porque não é como se tivesse dado errado. Nós sabemos que deu certo por um tempo…

Fiquei pensando na gente no dia sete desse mês. Olhei algumas fotos nossas que ficam misturadas com algumas fotos minhas. Isso me mostra que tentar te excluir seria como excluir parte da minha história. Você foi parte de mim. E, agora que partiu, pensei várias vezes em perguntar se você está bem. Mas eu imagino que esteja. Você parece ser bom em superar. A parte que mais nos preocupava nessa história era eu e eu acho que estou indo bem.

Isso é diferente de tudo o que eu pensava sobre nós e sobre términos. Eu sempre desconfiei que terminaríamos um dia. Desde o começo. Eu sei que você lembra disso… Mas, com o tempo, com o amor, eu fui deixando essa ideia de lado e vivi nosso relacionamento. Me perdi. Não era mais eu. Era nós. O tempo todo. Não quero repetir esse erro de novo.

E quando finalmente terminamos: eu jurava que não duraria muito. Pra mim, você sabe, um dia inteiro pode parecer um ano. Eu lembro que não queria guardar a data de quando terminamos. E eu realmente não guardei. Não sei quantos anos fazem. Mas quanto mais o tempo passa, mais distante parece a ideia que vamos nos dar bem desse jeito outra vez. Estou deixando você viver. Obrigada por fazer o mesmo.

Comportamento, Música

You Only Live Once

06921b554f76f8ea164a5ca37cc1c708af63612av2_00

You Only Live Once veio se tornando uma das minhas músicas favoritas. A principal desculpa é porque num dia entediante é essa a música que agita as minhas ideias malucas. Então, para aquele dia normal resta pouco tempo pra se tornar único e especial.

Essa música fala sobre como as outras pessoas por dentro podem estar tão na bad quanto nós e, dessa forma, eu entendo que cabe olharmos mais com o coração e julgar menos. As pessoas podem ser bem diferentes umas das outras. Mas a gente pode escolher dar certo com alguém ou pelo menos tentar.

Num dia pra baixo, vale muito a pena ouvir essa música e fazer algo diferente, como enviar uma mensagem pra crush assumindo: eu estou mesmo na sua, vamos nos ver hoje? Ou fazer um caminho diferente e ter a sorte encontrar com alguém legal. E, quem sabe, gastar quase todo o seu dinheiro com lanche porque, sabe Deus, se amanhã você vai ter essa chance.

Fazer coisas de adolescentes, sabe? Eu me sinto tão bem quando volto à adolescência. A vida adulta costuma cobrar bastante seriedade e, por isso, é tão chata. Ser adulto, muitas vezes, é dizer “não” pensando lá no futuro. Tem alguma coisa que você quer muito dizer sim? You only live once. Lembrete: essa desculpa deve ser usada com moderação.